Com exceção do peso mexicano, a expectativa antes da posse de Donald Trump como presidente dos Estados Unidos favorece moedas emergentes como o Real. O dólar mostra tendência de queda no curtíssimo prazo, mas o cenário pode se alterar, rapidamente.

O mercado global interpreta que a possível política expansionista e protecionista norte-americana dependerá das commodities (matérias-primas) dos países emergentes para incentivar a produção industrial nos Estados Unidos. Diante disso, desde o final de 2016, há a valorização de moedas como o real (Brasil), o rublo (Rússia), a lira turca, o rand sul-africano, o peso argentino, peso colombiano e o peso chileno.

Ontem, no encerramento dos negócios, o Real mostrava valorização em comparação às principais moedas. O dólar comercial à vista fechou em baixa de 0,779%, a R$ 3,1967 no balcão, ou seja, no preço formado entre bancos e corretoras de câmbio. O euro comercial também caiu 0,551%, para R$ 3,3776, enquanto a libra esterlina recuava 1,87%, para R$ 3,8878.

(Fonte: DCI)

COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA