Apesar da soja ser o carro-chefe das vendas externas brasileiras, o açúcar chama a atenção da balança comercial do agronegócio no acumulado de 2016. O produto foi responsável por quase todo o montante do complexo sucroalcooleiro, com 92% do valor em vendas do setor (US$ 10,44 bilhões). Em comparação com 2015, houve crescimento de 36,6% em valor, em função do aumento da quantidade: de 24,01 para o recorde anual de 28,93 milhões de toneladas (+20,5%). Os dados foram divulgados pela Secretária de Relações Internacionais do Agronegócio (SRI) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) nesta segunda-feira (9).

As exportações de álcool também tiveram expansão, passando de US$ 880,48 milhões em 2015 para US$ 896,34 milhões em 2016 (+1,8%). A despeito da queda na quantidade (-3,7%), o aumento no preço do produto (+5,7%), foi superior, o que levou ao crescimento das vendas em valor. As exportações do complexo sucroalcooleiro alcançaram a cifra de US$ 11,34 bilhões em 2016, o que representou incremento de 32,9% em comparação ao ano anterior.

De acordo com a SRI, o desempenho da carne suína também foi destaque em 2016. O produto somou US$ 1,47 bilhão, o que representou crescimento de 16,3% em relação ao ano anterior. A quantidade também foi ampliada, de 542,13 para 720,10 mil toneladas. As vendas de carne suína in natura registraram recorde no período de 12 meses para quantidade: 628,65 mil toneladas.

Entre janeiro e dezembro de 2016, as vendas externas do agronegócio brasileiro atingiram US$ 84,9 bilhões, com retração de 3,7% em relação aos US$ 88,2 bilhões exportados no ano anterior.

(Fonte: Mapa – 09/01/17)

COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA